Este twitte é real (link), e este meu texto é opinativo; assim, considerando que ainda vivemos num país democrático em que se tem respeito à liberdade de expressão, que fique registrado que está é a minha.

E, sobre a opinião deste jovem, se faz necessário alguns apontamentos, pois esbravejar inverdades na internet é um ato simples, especialmente contraídos em 140 caracteres, como ocorre no Twitter.

Ademais, em que pese suprimidos em curto texto, as palavras tem força, o compartilhamento tem escala e alcance, e o cuidado se faz importante, pois em curto texto pode-se extrair grandes problemas, e quando feito de forma descuidada, as consequências podem ser altas, por isso decidi começar a escrever um pouco mais sobre o que penso, para trazer um pouco de equilíbrio à internet – se é que isso é possível, então vejamos:

 

(1) Meio trilhão de reais perdoados de empresários políticos transvestidos de empresários.

Neste primeiro ponto se faz importante distanciar o real conceito de empresários, com aquilo que dizem ser, mas não são. Aceitando como verdade, pois admito não ter corrido atrás de quaisquer fontes para confirmar a notícia, que foi perdoada tamanhas dívidas, resta compreender e conceituar melhor o verbete “empresário”.

Considerando que 90% das empresas brasileiras são familiares [Sebrae-SC], parece-me bem incongruente generalizar de forma tão cretina como se todo empresário tivesse a sua dívida perdoada.

Ou, seria mais congruente dizer, portanto, que supostos empresários, a fim de conseguir tamanha regalia, não precisariam estar ligados a classe política, de tal forma a ter a sua dívida perdoada?

Neste sentido, é muito leviano esse tipo de argumento, e beira a má-fé; no momento que se assume como premissa, no uso do vernáculo empresário, que todos foram perdoados, ou pelo menos assim se pondera, pois insinua tal pensamento ao leitor, então deveríamos simplesmente nos mudar do país, pois impossível qualquer tranquilidade negocial, tendo em vista o alto grau de corrupção por parte dos empresários, o que nitidamente não me parece verídico.

 

(2) O problema do país é a CLT.

De fato é, ela não protege os empregados e ela sufoca os empresários/empreendedores em cima de várias enormes falácias.

A começar pela primeira e principal: Quem oferta empregos, o Estado ou o Empresário?

Sabendo a resposta correta da pergunta acima, então a melhor legislação será aquela que protejam os dois, para que possam ter boas relações de negócios.

Veja-se, encontramo-nos em um país doente em que muitas pessoas acreditam como verdade máxima depender do Estado a oferta dos empregos. Estado não é empresa para ofertar emprego, mas o empresário sim; pelo contrário corremos um sério risco de darmos um belo avanço em direção a socialismos e/ou comunismos, que eventualmente se transformarão em Ditaduras.

Afinal de contas, ninguém aqui é psicopata de contratar um inimigo para passar 8h por dia, 5 dias por semana (mais tempo que você passa com a sua própria família), né? Pois é disso que esta linha de argumento se trata, ao considerar que todo Patrão é inimigo do empregado. Por outro lado, é evidente que não estou dizendo que não ocorram problemas ao longo do trabalho, pois convenhamos, trabalhar é resolução de problemas e conflitos constantes, isso gera estresse, e por ato de consequência, ocorre desgaste entre as pessoas, até mesmo pela alta quantidade de tempo que as pessoas se encontram juntas, assim, se faz mister ponderar.

Então por que sempre consideram que Empregador é inimigo do Empregado?
Só sendo muito cretino pra acreditar que o mundo é feito de gente ruim, se for assim, melhor nem sair de casa e viver no medo. A evolução humana passa pela confiança, e ela é ponto neural de qualquer relação negocial.

 

(3) Previdência.

Há dois problemas gigantes na Previdência.

a) Juizes Federais e Economistas alegam que não há rombo na previdência, como o Governo alega. Que os números apresentados estão errados.
Um dos princípios constitucionais da administração pública é a transparência, sem ela a gente sai da Democracia e cai diretamente na Ditadura (socialista/comunista), e a ausência de um auditamento nestas contas demonstram um erro gravíssimo do Governo, motivo já mais que suficiente para que os responsáveis sejam desligados por crime de improbidade administrativa.

 

b) Há urgente necessidade de se alterar a forma como contabilizamos a nossa previdência, hoje trabalhamos seguindo a ideologia do “Pacto Entre as Gerações”, em que, em linhas gerais, significa dizer que aquele que está trabalhando hoje tem parte de seu salário retido para pagar/sustentar aquele que já se encontra aposentado, com o dinheiro indo em linha direta. Assim, quanto mais velha se torna a população, e menos carteiras assinadas tivermos, mais a previdência sofre.
Enquanto que a verdadeira reforma seria para alteração deste Pacto, em que a parcela do seu salário passaria a ficar numa conta-investimento rendendo juros (preferencialmente acima da inflação, diferente do que ocorre com o FGTS – outro enorme furo do Governo!), te permitindo sacar mensalmente na sua aposentadoria, igual ocorre com a previdência privada.

 

(4) Bolsa Família.

No seu formato original, livre de corrupção e tendo conhecimento que deve ser uma política TEMPORÁRIA; ela é excelente! O problema é que essa excelência se esvai nas mãos de tantos políticos corruptos que, inclusive e principalmente, utilizam-se desta ferramenta para angariar voto em cima da população mais carente (e até mesmo os não tão carentes assim, que conseguem o benefício!), o que no final acaba manchando o nome deste belo programa, tão necessário e tão desviado…

Quem são os verdadeiros psicopatas, senão aqueles que nos vendem falsas ideias (o marketing forte é cartilha básica de Hitler e toda Ditadura) a fim de se promoverem e seguirem no governo por tantos anos…

* Sebrae-SC: http://www.sebrae-sc.com.br/newart/default.asp?materia=10410